O Rosto e a Máscara O Rosto e a Máscara

O Rosto e a Máscara

Mantendo-se o fascínio pela máscara, procurou-se a partir de um referente milenar, uma interpretação contemporânea, marcando assim o confronto entre o passado e o presente, a tradição e a modernidade.

É a máscara, ícone ancestral, registada sobre um material contemporâneo, que se sobrepõe a um rosto de hoje, procurando destacar as várias dicotomias associadas à máscara, que oculta e denuncia, oblitera e revela...
A camada exterior que o plexiglass “introduz” na pintura só por si funciona como máscara. É como um filtro que, por um lado, distancia o espetador da superfície da tela, por outro adiciona uma nova imagem e grafismo na pintura. Assim, a camada de vidro acrílico torna-se máscara duplamente, para além do reflexo que o vidro permite. É a imagem do espetador que ao tentar interpretar a obra se projeta para além da máscara que observa, interagindo com a pintura. É o reflexo do meio envolvente que vão adicionando ao rosto diferentes e sucessivas máscaras.

“Descasco-me até Deus”, confessa Fernando Pessoa pela voz de Bernardo Soares, como se a alma humana fosse uma cebola com inúmeras camadas concêntricas. Por baixo de uma camada há outra, e outra ainda... indefinidamente... E é nesta perspetiva que os poemas de Fernando Pessoa são chamados à primeira camada, à máscara da pintura, criando assim outras máscaras, diferentes resoluções plásticas, formais e conceptuais, assumindo-se a sobreposição de uma imagem sobre outra como um referente essencial nesta série de pinturas.

Usamos cookies para lhe garantir uma melhor experiência de navegação. Não guardamos qualquer informação pessoal.

Uso de Cookies

Este site usa cookies com o objectivo de lhe garantir uma melhor experiência de navegação. Alguns destes cookies são necessários para que este site funcione.

Outros são guardados para o reconhecer quando regressa ao site e para ajudar a nossa equipa a perceber que secções acha mais úteis e interessantes.

Não guardamos informação pessoal.

Se concorda com o uso de cookies do site Balbina Mendes, por favor escolha "Concordo"

×